Batalhão de Caçadores 2863 - C.C.S.

Outubro 23 2009

 

 A RECRUTA

 

A minha história com a tropa, começou a 10 de Abril de 1967, no Regimento de Infantaria 5,

2ª Companhia, nas Caldas da Rainha, onde assentei praça. Parti de comboio na Estação do Rossio, em Lisboa, levando na mala uma marmita cheia de pasteis de bacalhau, que a minha mãe tinha feito, para eu não passar fome nos primeiros dias de tropa. Sentei-me no comboio, que ia cheio de mancebos com o mesmo destino, e em frente sentaram-se dois amigos de Lagoa - Algarve, que não tinham pasteis, mas tinham um garrafão de vinho, muito bom, da dita terra. Pastel puxa vinho e vinho puxa pastel, fizemos uma grande patuscada durante a viagem, claro, quando chegámos às Caldas já não havia nem vinho nem pasteis. Quando me levantei no comboio para ir para a tropa,  verifiquei que estava com o maior "pifo" que apanhei na minha vida. Não sabia se o quartel era para a esquerda ou para a direita. Apanhei um táxi e ainda consegui dizer ao motorista que queria ir para o Regimento de Infantaria 5, que não fazia a mínima ideia onde ficava. Dos meus amigos de viagem nunca mais soube deles, mas a história ficou para sempre.

             Recruta 11.Julho.1967 - RI 5 Caldas Rainha    

 

                                                        

           Recruta 26.Abril.1967 - RI 5 - Caldas da Rainha

 

A ESPECIALIDADE

 

A  24 de Junho de 1967, terminei a minha recruta, e como todos, fiquei na expectativa de saber qual a especialidade que me tinha calhado, contra todas as probabilidades saiu-me a enfermagem, coisa que nunca me tinha passado pela cabeça.

Na noite de S.João cheguei a Lisboa, com um calor abrasador onde fui colocado no Batalhão Sapadores de Caminhos de Ferro, um quartel muito antigo, no bairro de Campo de Ourique em Lisboa, o mais perto do Hospital da Estrela.

O curso de enfermeiro foi feito no anexo da Basílica da Estrela, durante 12 meses acompanhado do estágio da especialidade no Hospital Militar Principal, em Medicina 3 (soldados e cabos) onde aprendi a especialidade que me reservaram.  

  

Hospital Militar Principal - 11.05.1968

Em Novembro de 1968, fui nomeado para servir no Ultramar e enviado para Évora para formar Batalhão no Regimento de Infantaria 16, onde o Batalhão Caçadores 2863, já estava em formação e na semana de campo, que antecedia a ida para guerra. Semana esta, de má memória, onde o Batalhão teve as suas primeiras baixas mesmo antes de partir para Moçambique.

 

23 de Novembro de 2009 - Ver comentário de João Gonçalves

 

Quando aconteceu o acidente na semana de campo, descrito pelo João Gonçalves, ainda me encontrava no Hospital da Estrela, e aí tivemos contactos com os feridos, eu e os  enfermeiros das outras companhias. Lembro-me que o Comandante Costa Pinto também tinha um pequeno estilhaço de granada na cara.   

 

memórias de

 

Benildo Lopes

p>

publicado por Benildo Lopes às 17:51

Efectivamente a primeira baixa mortal ocorreu na semana de campo, nos arredores de Évora. A vítima foi o CAPITÃO INÁCIO. Recordo-me que estávamos a inspeccionar a zona dos fogos reais na busca de algum engenho explosivo por deflagrar e de repente ouvi um estrondo a pouco mais de trinta metros à minha esquerda. Uma "pinha" despoletou-se no momento em que o Capitão tentava desenterrá-la. Quando cheguei ao local já não havia nada a fazer. O Capitão desfalecia crivado de estilhaços no rosto e no peito.
O Capitão Inácio era o Comandante da C.Caç 2472 ( substituido pelo Cap. Cerveira ), e foi justamente esta Companhia a que mais "porrada" levou e mais baixas teve no Fingoé Apenas uma coincidência!
Um abraço
J. Gonçalves ex-Alferes da C.Caç 2470
joão gonçalves a 24 de Novembro de 2009 às 13:15

Tenho um percurso muito identico uns anos mais tarde...
Anónimo a 24 de Novembro de 2014 às 13:57

mais sobre mim
Outubro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28


pesquisar
 
blogs SAPO